sexta-feira, 5 de outubro de 2012

 somente parar de se preocupar. as palavras cortam como fogo em minhas pétalas tão delicadas. sou uma flor que ainda precisa desabrochar muitas vezes e quantas forem necessárias. sou apenas poeira ao vento. um grão de areia no meio de um deserto. uma pena no meio de tantas. um ser frágil que precisa de um maior para me proteger. quando penso que estou fazendo o certo mil fagulhas me acertam, queimam meu mais doce mel, me jogam para o fundo novamente. mas hoje me dou mil motivos para me esquivar de tudo isso. para ter alegrias, felicidades, Deus,  todos os anjos e suas bençãos perto de mim. chega de ser sugada. me fecho para produzir meu mais puro néctar sozinha. prefiro assim. e que venha as chuvas, as tempestades, o sol, a lua e todos os astros. que venham as alegrias, sofrimentos, tristezas e mágoas: superarei tudo para um bem maior que é Deus em minha vida. que venham me preencher as cores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário