segunda-feira, 12 de novembro de 2012

não vejo a hora de não ter mais que te ver. não ter que mais sofrer, não ter mais que sonhar para esquecer que se esqueceu de mim. que tudo passou, não virou poesia e você se entregou para qualquer fantasia. as coisas em nossa vida quando são erradas sempre serão uma prisão. se escolhestes, por exemplo, as drogas, através de seu livre arbítrio serás escravo dela, serás prisioneiro da droga. tens certeza de que está fazendo o certo? ahhh eu tenho certeza que em sua mente só se passam borboletas flutuantes e mil maravilhas mas no final, tudo isso não dura e se torna tristeza. será que não vê que sempre acontece isso? que sempre a história se repete? é a mesma coisa sempre: uma infelicidade atrás da outra e nunca se está completa em nada. nem em mim esteve. nem em mim que há tempos vivi contigo. o que dirá dos outros que mal lhe conhecem? mas claro. não se ouvem mais conselhos bons. nem daqueles que sempre estiveram ao seu lado. tudo agora não passa de uma tentativa de interferência na vida do outro e controle alheio. eu simplesmente não reconheço mais nada. não reconheço mais suas expressões, seu olhar, sorriso, ações, nada! é triste mas é a verdade. se esqueceu de tudo o que se passou e o que fiz. o meu ponto final começou há muito tempo. e  esse ano dei muitos pontos finais em coisas que se transformaram e não valeram mais a pena. primeiro para você, depois para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário