sábado, 28 de setembro de 2013

sou daquele tipo que nunca desiste. não choro por novelas manipuladoras muito menos por amores perdidos mas sou humana. humana por ser capaz de olhar para uma foto e reconhecer ali algo que se perdeu à muito. Um precioso bem ao qual daria tudo para recuperá-lo. não sou do tipo triste. Aqueles sorrisos cujas fotos retratam são a pura verdade, fazer o que se o que mais gosto é de rir... e como ríamos juntas... meu riso era mais feliz contigo. mas enfim, como já disse, não vivo me lamentando de segunda a domingo que o dia não está bom, que a chuva caiu em momento errado, que o sol está escaldante. não. não e não. Tudo o que temos é a vida e passaremos ela inteira reclamando? Prefiro olhar para as plantas que cultivo todos os dias, dar um bom dia ao meu chefe sem me importar se ele paga bem ou mal seus funcionários, amar os outros sem que retribuam isso, cantar para ninguém em especial, ouvir, conhecer, descobrir que nada do que fazemos ou aprendemos é descartável ou inválido. E quando a paciência se esvai ou o choro vem á tona eu prefiro me expressar. prefiro fazer valer a pena cada palavra pensada, cada lágrima derramada, cada esforço para me segurar de explodir á toa. prefiro pensar que nervosismo é sinônimo de morrer cedo. Pra quê carregar fardos pesados se Deus já nos prometeu aliviar nossas costas? Nessa vida só me arrependo de uma coisa e mesmo assim não posso dizer se é por completo pois não sei como será amanhã. não sei se ainda tem conserto. não sei o que se passa do outro lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário