terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Será é muito vago para a certeza que eu tenho.
Um dia é muito amplo para a proximidade que eu sinto.
Mas o hoje que eu queria que fosse é muito forte para o 
abalo que ainda se instaura...
Carregarei todas essas fotos, momentos os quais marcaram 2014 para sempre em minha vida. Desde a despedida triste e difícil, as novas amizades até o retorno para casa e o pensamento de que o primeiro ano de faculdade já se foi. Passou rápido. Um fato importante para mim nesse ano foi analisar que passei minha vida inteira indo na igreja, participando das missas e quando me mudei e passei a não frequentá-la senti uma tristeza logo de início. Mas Deus me mostrou que a igreja está dentro de nós. Nós somos o santuário, local onde queremos ou não guardar Cristo. Eu resolvi carregá-lo comigo onde quer que eu vá e mais uma vez tenho uma grande prova do seu amor. Então o grande agradecimento desse ano que se passou e do 2015 que entrará vai para nosso Pai celeste! Que mais um ano entre com muitos aprendizados e muitas bençãos derramadas sobre nossa humanidade.






quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Todos os anos nos preparamos com mesas fartas, roupas novas, casa cheia, presentes, para receber o natal. Quando digo "nos" incluo a mim e minha família nisso. Festejamos algo ao qual nem sabemos o real sentido. Pela primeira vez eu não vivi o natal. Nem sequer agradecemos pelas bençãos derramadas, pelas graças alcançadas. Nem sequer abraçamos nossos próprios familiares. Saímos da ceia com a barriga farta e os corações vazios de afeto e do verdadeiro sentido natalino. Natal que significa nascimento! Nascimento de Jesus em nós. Ao chegar em casa sou preenchida por um vazio de "tarefa não cumprida" mesmo estando com a barriga cheia e as mãos ocupadas com sacolas de presentes. Cheguei a conclusão que poderia ter feito algo mais característico da data. Fazer uma ceia de natal na rua com os nossos esquecidos, ter arrecadado presentes para distribuir na noite de natal para crianças pobres ou simplesmente ter passado a ceia com crianças em um hospital me faria muito mais feliz e completa. 
Não sabemos como viver o Jesus. O menino Deus que nasceu, nos ensinou e nos salvou faz aniversário todos os anos, bate a nossa porta todos os minutos, segundos de nossas pequenas e vazias vidas e nem sequer conseguimos enxergar, entender, compreender um pouquinho do seu amor por todos nós. Não conseguimos Lhe devolver nada. Estamos saturados de falsas esperanças. O menino Jesus nasceu para nos ensinar tanto mas não aprendemos nada. Morreu para nos salvar mas não queremos ser salvos. Vive conosco a cada dia mas nos cercamos de coisas tão mundanas que fica quase impossível deixá-lo partilhar dos nossos planos, anseios, felicidades e tristezas. Jesus nasceu mas nós morremos a cada dia. Deixamos bondade, caridade, amor, perdão, caráter e união para traz para viver o natal do mundo, para viver do modo como o mundo quer. Nesse natal eu me sinto culpada por não ter feito algo significativo para Deus, por não ter dado as boas vindas ao seu Filho que nasceu, por não ter vivido dentro da minha própria família o verdadeiro espírito do natal.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Que bom ter você ao meu lado. 
Todos os dias me sinto segura e mesmo na distância eu posso te sentir perto de mim. 
Deus cuida do nosso amor. 
Façamos da saudade uma ponte fortalecedora do que sentimos um pelo outro. 
Eu entendi que a vida é assim mesmo, sempre nos levando para diversos caminhos, para diversas jornadas. Nunca saberemos se vamos nos reencontrar em algum ponto. Os ventos mudam de direção assim como nossos pensamentos, modo de agir. Tem vezes que acho tão difícil aceitar essa maré de surpresas e reviravoltas. É difícil aceitar um não. Um "nunca mais". É difícil aceitar o fim de algumas coisas. Assim como também é difícil aceitar os novos começos e os reinícios, os perdões, as mudanças, as faltas, as batalhas e as perdas. É difícil aceitar a distância. aceitar que se simplesmente acabou é porque era para ser assim... a vida e suas grandes estações ao qual passamos...
Um ano se passou... tão rápido. É bom saber que nada mudou em casa. Sexta passada, dentro do avião eu já imaginava os abraços que receberia. Só de pensar, mesmo lá entre as nuvens, eu já me emocionava. Foram 6 meses longe de casa, longe de tudo o que mais amo, do meu porto seguro. Mas quando eu aterrizei as lágrimas se misturaram com as gotas da chuva que caia, como se o céu soubesse como aqueles encontros eram importantes. Que esses dias de férias passem lentamente...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Confiança em Deus
Porém, temos este tesouro em vasos de barro para que transpareça claramente que este poder extraordinário provém de Deus e não de nós. Em tudo somos oprimidos, mas não sucumbimos. Vivemos em completa penúria, mas não nos desesperamos. Somos perseguidos, mas não ficamos desamparados. Somos abatidos, mas não somos destruídos. Trazemos sempre em nosso corpo os traços da morte de Jesus para que também a vida de Jesus se manifeste em nosso corpo. Estando embora vivos, somos a toda hora entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus apareça em nossa carne mortal. 
II coríntios 4: 7-11
Nunca saberemos qual o limite das pessoas. Elas mentem, omitem, perdem até o caráter como se fosse algo banal. Dão a palavra mas voltam atrás. Tudo isso pelo simples fato de que foram educadas por pais que sempre disseram sim, sempre deram de tudo, de tudo não, faltou a educação, a ética, os valores básicos. Mesmo estando em uma universidade, buscando aprimorar o intelecto as pessoas se rebaixam, pisam nos outros com atitudes medíocres e falsas. Fico impressionada com a falta de personalidade nas pessoas hoje. Elas não lutam sozinhas, não expõem seus ideais e se escondem atrás de falsas aparências. Fingem que são algo por querer ser popular. Saibam que a vida ensina da pior maneira. 
Seja sempre decididamente sincero em toda a sua manifestação de vida: em seus pensamentos, em suas palavras e em suas ações. Fuja, mas fuja mesmo dos aduladores, até para não comprometer a sua personalidade. Adulador é aquele que tem prazer em ser usado e pisado, contando que lhe seja dado estar sempre junto a quem detém o poder. Ele é a própria forma da hipocrisia, da mentira e da falsidade. Seja o que a sua dignidade humana lhe ensina - honesto, justo, digno de si mesmo e merecedor do respeito de todos.

"É o sorriso que torna tudo mais incrível,  mas com certeza são os olhos que mostram o quão profunda a amizade é." M.Y.B