quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Ao optarmos pelo silêncio estamos automaticamente ouvindo apenas o nosso próprio barulho
barulho esse que é pulsante e, para muitos, impossível de aquietar.
Coração palpita desesperadamente por um amanhã.
Ohh coração
Acalma-te
Essa fase está quase no fim...

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Eu era dessas pessoas que dão mais valor para as coisas do exterior do que do meu próprio país: música, filmes, alguns produtos ou marcas, locais para se conhecer/viajar e por aí vai... Nos últimos 4 anos conheci lugares incríveis dentro do Brasil, belezas únicas que nunca imaginei conhecer dentro do meu próprio país. Nessas viagens pude visitar museus, conhecer um pouco mais sobre arte popular na música, arquitetura, pintura, escultura e até poesia... Até mesmo minha formação na nutrição me permitiu valorizar mais os alimentos cujo cultivo só se dá aqui, as tradições culinárias e a infinidade de crenças populares que dizem respeito à alimentação. Passei a ouvir mais músicos brasileiros do que ouvia antes e "tirar" suas canções no meu próprio violão. De todas as transformações que passei ao longo dos últimos anos essa com certeza é uma das que mais me orgulho. Viva nossas transformações diárias e Viva nosso patrimônio cultural!
Foto: Momento emocionante em que me vi diante de um Tarsila do Amaral, artista que amo desde criança - São Paulo/2018

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Aquele dia nós refletimos sobre a nossa formação, sobre todos os passos que nos fizeram chegar até o que somos hoje. Discutimos sobre o "eu" e no quanto nós projetamos tudo o que somos no outro para que ele se assemelhe a nós mesmos, o que muitas vezes se trata de um comportamento automático. Nesse dia eu saí tanto de mim... me distanciei o máximo que pude daquilo que sou para observar como me formei. A conversa fluiu por várias horas de uma forma leve, sem julgamentos, apenas constatações sobre como nós vamos nos construindo, nos apropriando de pequenas características das pessoas que nos cercam durante a vida. Vamos nos moldando, remodelando e por vezes todo esse processo causa um grande estranhamento em nós mesmos. 
E ainda bem que causa!
A vida é mesmo uma loucura!
Nesse dia te admirei e amei nossa amizade pela reflexão que fizemos e pelo momento de paz no topo daquela montanha, no dia anterior. Sorri com os lábios e com o olhar por estar tendo aquela conversa, por me mostrar quem eu sou com maturidade suficiente para construirmos um aprendizado em cima de tudo aquilo... 
agradeci por ter encontrado alguém que me fizesse ver mais além 
que me mostrou a grandeza do silêncio
que me olha nos olhos sem incômodo ou vergonha
que é capaz de dialogar comigo por horas sem entediar-se...
Muito prazer em te conhecer: também sou um pouquinho de você!




























Foto: Serra da Canastra - MG